domingo, 6 de janeiro de 2008

Aos catedráticos


Em meio à azáfama obscena dos saturalattes

Em meio às rasteiras dos rastaqüeras -

Inteleqüeras

O pensante vagabundo sem-currículo

Filosofopoeta, com o combustível das coxinhas do boteco

Convivendo com a ralé, os ratos, o anonimato do espetáculo

(da indústria das celebridades de cérebros luminares)

Sem catequizandos e bolsas de fomento

Sem a empáfia estúpida do engodo sofisticado

Troça, pirraceia, profana

A secular glória semestral

Do último filosocrata pós-pós-pós-doctor

Funcionário bem comportado de máquinas anônimas

Cão servidor de patrões nada morais.

4 comentários:

Leon Eramaled disse...

Prezados amigos

podemos chamar de "Catedráulicos",

Maravilha o "Flanagens"!
Parabéns!

CresceNet disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my site, it is about the CresceNet, I hope you enjoy. The address is http://www.provedorcrescenet.com . A hug.

Panapaná disse...

Isso tem cara de MM...hehehehehe...

Panapaná disse...

excelente!